Bem Vindo!!!

Parábolas e Fábulas são contadas de geração em geração e tem como atributo principal fazer-nos refletir sobre nossas atitudes e comportamentos.



Em sua maioria trazem, em seu conteúdo, lições de moral relacionadas ao comportamento humano com o próximo.



O objetivo deste blog é divulgar as muitas parábolas e fábulas contadas pelo mundo, bem como colaborar para que nos tornemos mais sábios e preparados para encarar a vida e seus desafios.



Boa Leitura!!!



sábado, 12 de abril de 2014

Passe Isso Adiante!


 Lá estava eu com minha família, em férias, num acampamento isolado e com carro enguiçado.

Isso aconteceu há 5 anos, mas lembro-me como se fosse ontem. Tentei dar a partida no carro e... Nada!

Caminhei para fora do acampamento e felizmente meus palavrões foram abafados pelo barulho do riacho. Minha mulher e eu concluímos que éramos vítimas de uma bateria arriada. Sem alternativa, decidi voltar a pé até a vila mais próxima e procurar ajuda.

Depois de uma hora e um tornozelo torcido, cheguei finalmente a um posto de gasolina. Ao me aproximar do posto, lembrei que era domingo e, é claro, o lugar estava fechado.

Por sorte havia um telefone público e uma lista telefônica já com as folhas em frangalhos. Consegui ligar para a única companhia de auto-socorro que encontrei na lista, localizada a cerca de 30 km dali.

¾ “Não tem problema”, disse a pessoa do outro lado da linha, “normalmente estou fechado aos domingos, mas posso chegar aí em mais ou menos meia hora”.

Fiquei aliviado, mas ao mesmo tempo consciente das implicações financeiras que essa oferta de ajuda me causaria.

Logo seguíamos, eu e o Zé, no seu reluzente caminhão-guincho em direção ao acampamento. Quando saí do caminhão, observei com espanto o Zé descer com aparelhos nas duas pernas e a ajuda de muletas para se locomover. Santo Deus! Ele era deficiente físico!!!

Enquanto se movimentava, comecei novamente minha ginástica mental em calcular o preço da sua ajuda.

¾ “É só uma bateria descarregada, uma pequena carga elétrica e vocês poderão seguir viagem”, disse-me ele.

O homem era impressionante, enquanto a bateria carregava, distraiu meu filho com truques de mágica, e chegou a tirar uma moeda da orelha, presenteando-a ao garoto.

Enquanto colocava os cabos de volta no caminhão, perguntei quanto lhe devia.

¾ “Oh...Nada não!...”, respondeu ele, para minha surpresa.

¾ “Mas tenho que lhe pagar alguma coisa”, insisti.

¾ “Não...”, reiterou ele. “Há muitos anos atrás, alguém me ajudou a sair de uma situação muito pior, quando perdi as minhas pernas, e o sujeito que mesocorreu, simplesmente me disse: ¾Quando tiver uma oportunidade, PASSE ISSO ADIANTE. Eis minha chance... Você não me deve nada! Apenas lembre-se: Quando tiver uma oportunidade semelhante, faça o mesmo...”.


Todos nós temos A NECESSIDADE de comungarmos uns com os outros, no Espírito Santo, seguindo o exemplo do Mestre Jesus Cristo e atendendo às Suas Palavras, que dizem:

“Amai-vos uns aos outros” – João 13.34 e 15.12,17; Tiago 2.8; Gálatas 5.14.

“Acolhei-vos uns aos outros” – Romanos 15.7.

“Saudai-vos uns aos outros” – Romanos 16.16; II Coríntios 13.12; I Pedro 5.14.

“Tende igual cuidado uns pelos outros” – I Coríntios 12.24-25.

“Sujeitai-vos uns aos outros” – Efésios 5.18-21.

“Suportai-vos uns aos outros” – Efésios 4.1-3.

“Confessai vossos pecados uns aos outros” – Tiago 5.16.

“Perdoai-vos uns aos outros” – Efésios 4.31-32.

Se nos dispuséssemos a orientar nossas vidas por estas Palavras, certamente seríamos muito mais felizes e não haveriam tantos sofrimentos.

É necessário que nos preocupemos com as carências dos nossos irmãos, pois sabemos que a tendência do homem é atender aos seus próprios interesses, esquecendo das necessidades daqueles que estão a sua volta. O que para nós pode ser supérfluo, para nosso irmão, muitas vezes, é o sustento capaz de lhe conceder uma vida mais digna e santa.

O egoísta não progride porque entende a vida e vê o mundo somente através de suas lentes, não sendo capaz de enxergar nada que vá além dos seus próprios interesses.

Quantos são os necessitados deste nosso mundo, que podemos certamente auxiliar, em muitas situações, levando-lhes o pão material e, principalmente, o Pão Espiritual: o único capaz de verdadeiramente livrá-los das suas angústias e aflições.